segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Cães adotados no "Crueldade nunca mais" nesse domingo

Para pedir punições rigorosas às pessoas que praticam atos cruéis com os bichos, simpatizantes dos direitos dos animais se reuniram neste domingo (22), em mais de 80 cidades pelo mundo. Trata-se de um movimento nacional, sincronizado no Brasil inteiro, que iniciou Às 9h da manhã.


No Recife, mesmo com a chuva que cai sobre a capital também ocorreu o movimento. No calçadão de Boa Viagem, Zona Sul da Cidade, uma feira para adoção de animais que foram abandonados e recolhidos das ruas foi montada. A ação faz parte do ato “Crueldade Nunca Mais”, campanha nacional de combate aos maus-tratos.
Funcionário do CVA, Wellington diz que animais precisam de carinho. (Foto: Katherine Coutinho / G1)
No começo da tarde os protetores já tinham o que comemorar: cinco cães e um gato foram adotados, de um total de 14 animais. “Com a quantidade de chuva que teve hoje, esse é um bom número”, conta a Neuma Cordeiro, que é protetora voluntária e ajuda a cuidar dos animais no CVA, dando banho, comida e carinho.
Uma das adoções mais comoventes foi a de uma cadelinha que sofreu queimaduras e foi recuperada pelos protetores voluntários. “Ela já tinha ido para três feiras. Se ninguém a adotasse nessa, eu ia leva-la para o meu abrigo. Não ia deixar ela voltar mais uma vez para o CVA”, diz Doroti Linck, que já havia adotado outra também vítima de maus-tratos.

Situações como essa comovem e revoltam a comerciária Sandra Rodrigues. “Eu fico arrasada e revoltada. Você pegar um bicho para criar, é para dar carinho, amor. Eu tenho quatro em casa. Quando vejo notícias de gente maltratando animais, dá vontade de fazer o mesmo com a pessoa. Cães também tem sentimentos, muito mais que algumas pessoas”, acredita Sandra

As irmãs Bruna e Joyce Gouveia também se revoltam com os maus-tratos. “Quando você domestica um animal, ele se torna dependente de você. Tem gente que pega e só pensa que são bonitinhos, esquece a questão da responsabilidade”, reclama Bruna. “Nós temos três vira-latas em casa. Eles até sabem se virar um pouco, mas esses cães mais de raça que são abandonados ficam completamente perdidos”, lembra Joyce.

De acordo com o Movimento de Defesa de Animais de Pernambuco (MDA – PE), há estimativa é de que existam 42 mil cães vivendo nas ruas da Região Metropolitana do Recife. “Cerca de 70 animais do CVA já foram adotados em três feiras promovidas em parceria conosco. Você vê que alguns têm marcas ainda, lembranças dos maus-tratos que já sofreram”, explica Marta Dubeux, integrante do MDA.

Funcionário do CVA de Peixinhos, no Recife, Wellington Gomes trabalha diariamente com os animais. Muitos chegam lá com alegação de serem perigosos, terem mordido seus donos, quando tudo o que precisavam era de carinho. “Quando você cuida deles, dá amor, eles retribuem. Cão não é só para cuidar de uma casa e ficar preso não. Você tem que levar para passear, dar atenção, brincar. Depois as pessoas reclamam”, diz Wellington

Mais adoções
Além dos seis animais adotados na manhã deste domingo, quatro cães foram adotados no próprio CVA no sábado (20). “Nós não esperávamos, foi uma surpresa muito boa. Os protetores estavam lá, dando banho nos cães, quando quatro pessoas chegaram e adotaram quatro cães. Eu fico muito feliz”, conta Doroti. Quem quiser adotar, pode ir ao CVA de Peixinhos. A exigência é assinar o termo de adoção, se responsabilizando pelo animal.

Protetoras voluntárias dão banho e cuidam dos cães no CVA. (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Veja como foi em SP (onde reuniu 20 mil pessoas), PA, RS, MT, SC, ES, CE, AM, RJ, PR, BA, SE, AL, MS. Veja mais estados aqui: http://www.anda.jor.br/

Veja mais no site e assine para receber notícias sobre a petição: http://www.crueldadenuncamais.com.br/


Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário